O tema que eu vou falar  hoje está cada vez mais presente no cotidiano de profissionais da educação, pais, responsáveis e alunos; e podemos falar que, atualmente, é impossível conceber o nosso dia a dia e as relações interpessoais sem ele.

A nomenclatura ‘tecnologia educacional’ é empregada para se referir ao uso de recursos tecnológicos para otimizar e aprimorar o processo de ensino/ aprendizagem. É necessário manusear a tecnologia, que é tão acessível às nossas crianças e jovens, a favor da educação. É imprescindível frisar que as tecnologias não extinguem o papel do educador, elas devem auxiliar na disseminação dos conteúdos e objetivos educacionais, conquanto como em toda aplicação pedagógica, o acompanhamento e mediação do profissional são indispensáveis. Neste aspecto podemos destacar softwares educacionais, jogos educativos e sites educativos.

Sites educativos, geralmente, são bem estruturados e lúdicos e permitem aprendizagem colaborativa com interatividade. O ensino virtual é motivador e as descobertas que ele proporciona com buscas rápidas, hipertextos, formatos e imagens levam a criança a aprender de forma diferenciada e de maneira mais concreta. Além de não precisar ficar restrito ao ambiente da sala de aula, uma vez que pais e responsáveis podem estimular o uso de alguns sites educativos para crianças e jovens, também como o manejo de jogos educacionais.

Os jogos educacionais não são propriamente uma novidade para os educadores, que já estão habituados a jogos da memória e quebra-cabeças para auxiliarem e dinamizarem o processo de aprendizagem. Podem ser utilizados jogos criados especificamente para ensinar sobre determinado assunto, expandir conceitos, reforçar desenvolvimento e entendimento sobre um evento histórico ou cultural, ou ainda auxiliar na aprendizagem de alguma habilidade enquanto se joga ou, ainda, jogos voltados para a socialização ou recreação. Dentre os muitos benefícios que trazem ao processo educativo, podemos destacar: incentivar a motivação do aluno; auxiliar o ensino lúdico; contribuir por meio de estratégias alternativas para o desenvolvimento dos conteúdos, na aquisição de certas habilidades, pois muitos possuem mais facilidade para aprender e memorizar através desse método. Podem ser jogos como os já citados, ou jogos de tabuleiro, jogos de cartas, vídeo games e jogos online.

Quando falamos em software educacional nos referimos a um software cujo principal propósito é ser uma ferramenta do processo de aprendizagem, para tanto, deve apresentar algumas características fundamentais para sua aplicabilidade e usabilidade. O conteúdo deve ser apresentado de forma objetiva, priorizando a interatividade e criatividade, fornecendo sempre feedback, sem se esquecer de ser estimulante, provocativo e desafiador para prender a atenção do aluno. A sua inserção deve ser norteada pelos interesses pedagógicos da escola. Lembramos que o software em si não implica em nenhuma mudança no processo educacional se não for utilizado dentro de um contexto que envolva o projeto político-pedagógico da escola.

O que não devemos esquecer é que quando a escola resolve adotar as tecnologias educacionais, elas devem ser analisadas quanto ao seu conteúdo e a viabilidade de aplicação dentro do contexto que a escola está inserida. Assim como a equipe deve ser treinada para que conheça o funcionamento correto da tecnologia aplicada e quais os benefícios que ela traz para o processo de ensino/ aprendizagem.

 

Você Pode Tudo!