A certeza de que podemos tudo o que desejamos.

Certa vez, um jovem na ânsia de encontrar um emprego para alimentar sua família, distribuiu cerca de 2.000 currículos. Achava que seria fácil conseguir, pois já era graduado em matemática, oficial da reserva e tinha trabalhado em alguns empregos com carteira assinada. Ele bateu em várias portas na busca de uma palavra de esperança, mas aos seus ouvidos somente chegava a frase: não temos vagas!

Mesmo diante de um cenário desfavorável, com um pai desempregado, uma mãe com câncer no útero, depressão e um irmão que não tinha a menor ideia da realidade do que estava acontecendo, nunca lhe faltou fé, pois, sabia que naquela casa, a vida de quatro grandes guerreiros iria mudar.

Certa manhã, ele entregou seu último currículo em uma rede de calçados. Solicitou ao gerente uma vaga como caixa, vendedor ou estoquista e foi informado que não havia vagas. No mesmo instante, um outro rapaz fez a mesma pergunta e o gerente respondeu que havia uma vaga de estoquista. Caminhando de volta para casa, o jovem orou pedindo ao Senhor discernimento para compreender o caminho misterioso que estava trilhando e, sem vacilar, disse “Amém”. Comprou um isopor e foi para a praia vender guaraná natural. Seis meses depois, ele ajudou um menino a estudar para um concurso e teve a ideia de montar um curso preparatório.

Passados 5 anos, por volta de 2006, o jovem já era dono de uma rede de ensino com mais de 200 funcionários. Seu irmão estava bem empregado, como oficial do exército, seu pai aposentado e sua mãe completamente curada.

Um dia resolveu ir a uma sapataria comprar um par de tênis da marca que sempre sonhou. Mal atendido na primeira loja, caminhou para a próxima e nem se deu conta de que estava no lugar onde entregou seu último currículo. Pediu seis pares sem nem perceber que estava comprando chuteiras. A vendedora doce e ansiosa que lhe atendera estava com os olhos lacrimejando, pois precisava bater a meta do mês para não ser demitida. O jovem, percebendo a ansiedade da moça, acrescentou mais um par de chuteiras à sua compra, deixando a vendedora extremamente feliz por saber que seu emprego estava garantido.

Enquanto experimentava os calçados, o jovem avistou um rapaz com uma blusa diferente e perguntou à moça quem ele era e quanto ganhava. Ela respondeu que ele era o supervisor e que ganhava, aproximadamente, 1.600 reais, além de comissão. Edson Urubatan, ao notar que o supervisor era o mesmo rapaz que entrou em seu lugar como estoquista da loja há alguns anos, não segurou as lágrimas e agradeceu por nunca ter perdido a fé. Naquele momento ele compreendeu que o Senhor tem um plano para cada um de nós e que as portas fechadas muitas vezes nos conduzem para o lugar onde realmente fazemos parte. Lembre-se: com fé nós podemos tudo!!!